Conhecida por muitos como a capital brasileira do vento, Jericoacoara e Preá também oferecem bastante diversão para os que ainda não velejam. Portanto começarei esse post dando dica do que fazer na região, onde se hospedar e como chegar (já que não é tão fácil assim..). Depois falarei um pouco dos picos de kite e wind, e se você ainda conhece os esportes, darei dicas das melhores escolas pra você aprender. Uma coisa é garantida, aqui tem diversão pra todo mundo! 

Foto: Eliseu Souza, fotografo do Rancho do Kite

Foto: Eliseu Souza, fotografo do Rancho do Kite

Pra você que quer vir velejar, é importante saber que Jericoacoara é um pico mais de windsurf, apesar de possuir locais onde o kite é permitido. Portanto Jeri tem uma estrutura maior para o windsurf e Preá para o kitesurf. 

 

Como chegar?

 

A melhor maneira de vir para Jeri e Preá é voando para Fortaleza e de lá pegar um transfer. Jericoacoara é um parque nacional, que está a 300km de Fortaleza sendo os últimos 15km de areia e terra, portanto é importante pegar um bom transfer e necessariamente um 4x4. Preá e Jeri ficam a 12km de distância apenas. Não é recomendando alugar um carro já que para alugar um 4x4 você terá que gastar bastante e não poderá usá-lo em Jeri já que fica proibido o acesso de carro, além de ser extremamente difícil chegar. Se mesmo assim você decidir alugar um, você terá que deixá-lo no estacionamento na entrada da cidade. A melhor opção na minha opinião é contratar o serviço de um carro 4x4, que mesmo não sendo o mais barato, é o mais seguro e rápido. Existem algumas empresas que fazem esse trajeto, mas o mais barato e de confiança que achei e que me recomendaram foi o Cláudio (88 99712-7535 - Whatsapp / 85 99700-4089 Tim) que trabalha só com Hilux. O preço é de R$900,00 pra ida e volta para até 4 pessoas e cada trajeto demora pelo menos 4 horas e meia. 

Se você não quiser ficar tanto tempo em um carro pra chegar em Jeri a outra opção é pegar um helicóptero por pelo menos R$6.000,00 por trajeto (fica pra próxima….). A opção mais barata, mas também a mais longa é pegar um ônibus (diversos horários de saída do aeroporto) e trocar pra uma Jardineira quando estiver mais perto de Jeri para atravessar a parte de areia e terra. Cada pessoa pagará menos de R$100,00 por trajeto, porém você ira demorar pelo menos 7-8 horas. 

Frota da Jeri Route:  88 99712-7535 Whatsapp / 85 99700-4089 Tim / 88  3660-3066 fixo

Frota da Jeri Route:  88 99712-7535 Whatsapp / 85 99700-4089 Tim / 88  3660-3066 fixo


Onde Ficar?

Jericoacoara - Vila Kalango está dentro do coqueiral. 

Jericoacoara - Vila Kalango está dentro do coqueiral. 

 

Existem centenas de hotéis e pousadas em Jericoacoara, em Preá existem menos opções mesmo sendo uma cidade maior. Em Jericoacoara tem hospedagem para todos o perfis, das pousadas de R$150 até os hotéis de R$1000. O hotel que fiquei, que aparenta ser a melhor opção de Jeri, é a Vila Kalango (em termos de preço está no meio termo dos citados acima). Um hotel com poucos quartos, bem rústico e com todo o conforto, além de contar com um excelente restaurante e uma escola de windsurf. Ele fica localizado de frente para a praia e do lado da duna do pôr do sol, que como o próprio apelido já diz, oferece a vista perfeita do pôr do sol (vilakalango.com.br/).

Bangalô no Rancho do Peixe

Bangalô no Rancho do Peixe

Em Preá existem menos opções de hotéis, mas não quer dizer que sejam pior. Se você está vindo velejar não precisa nem pesquisar; o Rancho do Peixe é o seu destino (ranchodopeixe.com.br). Todos os quartos são bangalôs super rústicos (lindos!), espaçosos e com todo o conforto pra relaxar depois de horas de kite. O bangalô é bem aberto então você realmente se sente em uma cabana isolada no meio da praia (porém com todo o conforto de um hotel). E o que mais interessa; o pico de kite fica em frente do hotel. Que ainda por cima conta com toda estrutura pro kite; mais de 20 professores, guardaria, bomba de ar pra encher o kite, água doce para limparem seu kite, restaurante/bar, e um pessoal super simpático e prestativo. Não tinha como ser pior na maior escola de kite do mundo (Rancho do Kite)! Definição de paraíso! Se você não veleja, o hotel ainda é uma boa opção por toda a sua estrutura e charme, e Jeri fica apenas a 30 minutos de distância (o hotel oferece transfers diários e você também pode pegar um bugre).

 


O que fazer?


Não falta o que fazer na Região de Jeri e Preá, sendo um velejador ou não. Existem programas que você pode fazer em Jeri mesmo e outros dois de bugre que você sai de manhã (9:00-10:00) e volta de tarde (14:00-15:00). 


Os programas de dia inteiro são o de Tatajuba e o das Lagoas e custam por volta de R$220 - 250 cada, um bugre de confiança é o do Gomes, que nos levou para os dois passeios (88 99636 2067) e foi super simpático e explicou todas as atrações, sem preguiça ou pressa pra voltar. O de Tatajuba começa com uma parada pra ver os cavalos marinhos em um braço do mar em uma área de proteção, depois segue pela areia, atravessa uma balsa, e chega (passa) por um mangue seco que é maravilhoso e tem vários balanços pendurados nas árvores. Muito bonito mas também não precisa ficar muito tempo lá. A próxima parada é em um local que tem umas pequenas construções com a areia petrificada onde você consegue tirar fotos assim:

  

Depois de tirar sua foto você segue para maior duna da região (maior atração do passeio), onde você consegue alugar sandboard ou esqui-bunda por R$5,00 e anda o quanto aguentar (não muito tempo pelo calor, ainda mais se você subir a duna para voltar), e você ainda tem a opção de voltar para o topo de quadriciclo por mais R$5,00 por vez. 

Para se limpar da areia, o próximo destino é um lago formado pela chuva, onde existem 4 restaurantes que oferecem o “cardápio ao vivo”. O que é isso? O garçom vem com os peixes inteiros e você escolhe o seu pra eles grelharem. Você tem a opção de alugar standup e caiaque, além de poder relaxar do passeio nas redes dentro da água. Depois é só curtir o caminho de volta. Não esqueça de levar bastante protetor!!

 

O Passeio das Lagos tem menos paradas, e consiste basicamente em conhecer a Lagoa Paraíso e a Lagoa Azul, duas lagoas formadas pela água da chuva. Esse passeio é mais perto de Preá, portanto se você for para as duas cidades, é melhor deixá-lo para quando estiver hospedado em Preá. O programa consiste em relaxar na lagoa e aproveitar suas águas que ficam cristalinas na beira. As famosas redes dentro da água começaram lá, e realmente são excelentes para dar uma boa descansada. Você consegue alugar standup e caiaque e se tiver sorte consegue até velejar! 

Lagoa Paraíso

 

Os dois programas valem a pena se você ficar pelo menos 3 dias por aqui, se não, acho que só o das lagoas fica de bom tamanho, e o resto do tempo você conhece bem a cidade e aproveita a praia. 

 

 

Jeri oferece outros programas na própria cidade. Você pode alugar um cavalo (ou uma charrete) para conhecer a região. Você tem que ir ver o pôr do sol das dunas e na Pedra Furada. A noite tem a rua principal (toda de areia) onde existem vários restaurantes e é onde tem o agito. Durante o dia a praia e seus restaurantes são as melhores opções (que maravilha é essa comida nordestina!!). E você não pode deixar de tentar aprender kite e windsurf pelas condições que são ideais!! Aulas de wind você encontra em vários lugares na praia, e de kitesurf recomendo ir pro Rancho do Peixe aprender.

Passeio a Cavalo

Passeio a Cavalo

Por do sol na Pedra Furada



Onde e quando Velejar?


Vamos ao que interessa: Jericoacoara e Preá são o paraíso brasileiro do vento, não existe lugar melhor pra velejar no Brasil do que aqui. Isso por causa do vento que é constante, as praias são extensas e oferecem bastante espaço para decolar seu kite com tranquilidade e existem vários lugares onde a água bate na cintura para aprender e se aperfeiçoar no esporte. A melhor época, quando o vento esta mais forte é de meados de julho até outubro, sendo setembro o melhor mês, entretanto o vento é constante o ano inteiro, só a força que diminui. Se faz sol no dia com certeza terá vento. Estou aqui no começo de Julho e o maior kite que usei foi um 10 (e menor um 8, pesando 80kg). 

Foto: Eliseu Souza, fotografo do Rancho do Kite

 

Vamos esclarecer uma pequena confusão; Jericoacoara é um pico mais famoso pelo windsurf, e o melhor local é reservado para a prática exclusiva do wind, porém existe sim lugares para praticar o kite. Inclusive, um dos lugares que mais gostei de velejar foi em uma lagoa bem pequena, entre as dunas de Jeri. 

Lagoa em Jeri

 

Entretanto o lugar é bem pequeno e quando vai muita gente velejar fica bem perigoso, e como é um lago de chuva, só tem água em certas épocas do ano. Além deste local, também tem uma área reservada no mar para o kitesurf, porém ele é um pouco afastado do centro. Se você está vindo com o foco de fazer kitesurf e em segundo plano conhecer a cidade, Preá é o seu destino já que Jeri está a 20-30 minutos de distância. Se você vem fazer windsurf Jeri é a sua melhor opção. 

 

O lugar onde mais velejei foi no Rancho do Kite, que fica no Rancho do Peixe e é, se não for a maior, uma das maiores escolas de kite do mundo. Ela oferece toda a estrutura pro velejo, facilitando bastante as coisas e te dando segurança. Se quiser fazer aula, eles trabalham com os melhores professores e todo equipamento Cabrinha do ano. Além de ter o fotógrafo lá direto tirando foto.  

 

Um outro lugar que gostei muito de velejar, que é um bom local para aprender, tirar foto e ser o ponto de start de um downwind é a “Barrinha” a uns 12km ao leste de Preá (tem que ir de bugre). E o que é tão especial é que você consegue entrar no mar e andar quase 1km com a água batendo no máximo no peito. Ou seja, perfeito para você aprender e se aperfeiçoar no esporte. Se você já anda bem, você pode tirar altas fotos com uma perspectiva bem legal como nessa foto abaixo. Depois de praticar as manobras e tirar as fotos você pode ir descendo a praia junto com o vento leste em um downwind até o Rancho do Peixe ou até mesmo Jeri, com o bugre te acompanhando pela areia por segurança (até o Rancho). 

 

Se você quiser um downwind mais longo, de 300km (ou até 600km se você tiver disposição), parando em varias cidades, o pessoal do E-Group oferece o “Surfin Sem Fim”. É um grupo de pelo menos 8 pessoas que vão com a melhor estrutura de segurança (carro + mar) velejando 3/4 horas todos os dias até chegarem no Rancho do Peixe. Acesse surfinsemfim.com.br para mais informações. 

 

Esse é meu guia para Jericoacora, se tiver alguma outra dica ou sugestão por favor deixe nos comentários! 

2 Comments